sexta-feira, 9 de março de 2007

Cometi um ERRO!

Percebi que cometi um erro no meu Blog, em 16 Janeiro 2006, coloquei este texto afirmando que era da autoria de Clarisse Lispector. Estou hoje republicando o texto e confirmando a verdadeira autora da composição que tanto me comoveu e inspirou inúmeras reflexões. Apenas mais um pequeno detalhe, a foto foi eu mesma que bati.

EU SEI, MAS NÃO DEVIA

Marina Colasanti
Eu sei que a gente se acostuma.
Mas não devia.
A gente se acostuma a morar em apartamento de fundos e a não ter outra vista que não as janelas ao redor. E porque não tem vista, logo se acostuma a não olhar para fora. E porque não olha para fora, logo se acostuma a não abrir de todo as cortinas. E porque não abre as cortinas, logo se acostuma a acender mais cedo a luz. E porque à medida que se acostuma, esquece o sol, esquece o ar, esquece a amplidão.
A gente se acostuma a acordar de manhã, sobressaltado porque está na hora.
A tomar café correndo porque está atrasado. A ler jornal no ônibus porque não pode perder o tempo da viagem. A comer sanduíches porque já é noite. A cochilar no ônibus porque está cansado. A deitar cedo e dormir pesado sem ter vivido o dia. A gente se acostuma a abrir a janela e a ler sobre a guerra. E aceitando a guerra, aceita os mortos e que haja números para os mortos. E aceitando os números, aceita não acreditar nas negociações de paz. E aceitando as negociações de paz, aceitar ler todo dia de guerra, dos números da longa duração. A gente se acostuma a esperar o dia inteiro e ouvir no telefone: hoje não posso ir. A sorrir para as pessoas sem receber um sorriso de volta. A ser ignorado quando precisava tanto ser visto. A gente se acostuma a pagar por tudo o que deseja e o que necessita. E a lutar para ganhar o dinheiro com que paga. E a ganhar menos do que precisa. E a fazer fila para pagar. E a pagar mais do que as coisas valem. E a saber que cada vez pagará mais. E a procurar mais trabalho, para ganhar mais dinheiro, para ter com o que pagar nas filas em que se cobra.
A gente se acostuma a andar na rua e ver cartazes, a abrir as revistas e ver anúncios. A ligar a televisão e assistir a comerciais. A ir ao cinema, a engolir publicidade. A ser instigado, conduzido, desnorteado, lançado na infindável catarata dos produtos.
A gente se acostuma à poluição. À luz artificial de ligeiro tremor. Ao choque que os olhos levam na luz natural. Às besteiras das músicas, às bactérias da água potável. À contaminação da água do mar. À luta. À lenta morte dos rios. E se acostuma a não ouvir passarinhos, a não colher frutas do pé, a não ter sequer uma planta.
A gente se acostuma a coisas demais, para não sofrer. Em doses pequenas, tentando não perceber, vai afastando uma dor aqui, um ressentimento ali, uma revolta acolá. Se o cinema está cheio, a gente senta na primeira fila e torce um pouco o pescoço. Se a praia está contaminada, a gente só molha os pés e sua no resto do corpo. Se o trabalho está duro, a gente se consola pensando no fim de semana. E se no fim de semana não há muito o que fazer, a gente vai dormir cedo e ainda satisfeito porque tem sono atrasado. A gente se acostuma para não se ralar na aspereza, para preservar a pele.
Se acostuma para evitar feridas, sangramentos, para esquivar-se da faca e da baioneta, para poupar o peito.
A gente se acostuma para poupar a vida.
Que aos poucos se gasta, e que, de tanto acostumar, se perde de si mesma.

(in "Eu sei, mas não devia" - Editora Rocco, Rio de Janeiro, 1996)

5 comentários:

Edson Marques disse...

Luiza Helena,


só vim deixar-te um buquê de estrelas e flores rcém-colhidas.


Seja escandalosamente feliz!

Roseane disse...

lú,seu blog esta muito legal,continue colocando essas reflexoes legais e divulgando o blog q terá muito sucesso,pois os assuntos são bem legais.bjokinha,manda um abraço para todas as meninas!!!!

GLACI disse...

É AMIGA A NOSSA VIDA É UMA CORRERIA Q A GENTE(NAO DEVIA) MAS SE ACOSTUMA COM TUDO, E ACABA DEIXANDO DE LADO AS COISAS MAIS SIMPLES DA VIDA...E QUE AS VEZES NOS FAZEM FELIZ E EATÉ ENTENDER O QTO É BOM VIVER...SABE EU JA TAVA ACUSTUMADA COM CERTAS SITUAÇOES , MAS MUDEI E COMECEI..A OLHAR O CEU ..AS ESTRELAS,,AQUELA ARVOEZINHA Q PARECE NAO TER GRAÇA , MAS NA VERDADE ELA TA ALI E A GENTE C ACUSTUMA TANTO Q NEM PERCEBE...E AS VEZES ACABAMOS FAZENDO ISSO COM PESSOAS QRIDAS..Q A GENTE "ACUSTUMA"E ACABA ESQUECENDO Q SAO PESSOAS E PRECISAM DE CARINHO...BJOS AMIGA E NAO ESQUEÇA D VISITAR MEU BLOG WWW.GLACI.NET.ZIP

glaci disse...

amiga eu escrevi um comentario bem legal , mas parece q nao f ficou , desculpa deve ter acontecido algum errinho...bom mas adorei essa mensagen ...mil bjos e fique com deus vou voltar viu

glaci disse...

parabens adorei