terça-feira, 20 de março de 2007

Estou atrasada!

Luiza Helena

Realmente eu tenho dificuldades em administrar o meu tempo, estou desde sexta-feira planejando escrever meu artigo desta semana, e por incrível que pareça ainda não consegui...
Sei que a noção de tempo é relativa, uma convenção, uma necessidade humana; mas ainda não consegui definir o que eu entendo como tempo, principalmente porque quanto mais eu corro, mais fico atrasada.
Sempre pensei que nasci fora do meu tempo, quer dizer, percebo o tempo de uma forma pessoal, e não me sinto de acordo com o tempo do mundo em que vivo. Pode até parecer uma fantasia, mas eu vivo como se o mundo corresse numa velocidade e meu organismo em outra.
Quando estou feliz, correndo atrás dos meus objetivos, satisfazendo minhas necessidades sinto como se o tempo fosse correndo depressa, pra eu não conseguir... Por outro lado, quando estou aguardando alguma coisa que não depende da minha vontade, o tempo parece se arrastar em um marasmo incompreensível. Não sei explicar direito, mas acho que todas as pessoas já perceberam algum dia a demora do tempo quando estamos entediados aguardando algum acontecimento ou providência de terceiros.
Por exemplo, quando estamos aguardando nossa vez de andar naquele brinquedo incrível do parque de diversões, parece que a volta nunca acaba, como demora... Quando finalmente entramos no brinquedo e vamos alegremente usufruir daquela diversão, o tempo passa tão depressa, nem dá pra acreditar.
Em algumas ocasiões dois minutos parecem bem menos do que 120 segundos.
Mas deixa pra lá... estou atrasada... tenho que parar de escrever agora... tem mais coisas esperando pra serem feitas... depois eu continuo...

2 comentários:

Edson Marques disse...

Luiza Helena,

gostei da tua crônica sobre o tempo e a sensação de falta dele que às vezes temos.

Acho que devemos aprender a viver mais de sessenta segundos por minuto!

Abraços, flores, estrelas..

C_BRITTO disse...

Olá Luiza!

Eu também tenho essa sensação “às vezes”
Mas quer sabe?!
Não deixe nada para amanhã faço hoje agora.
Eu sigo à risca, dormindo pouco e sonhando mais!

Escreveis tão bem!
Obrigada pela visita!

Abraços e beijos.