segunda-feira, 11 de junho de 2007

Nem tudo é como a gente quer...

Vejo o dia de hoje meio acinzentado,
mesmo que o céu esteja claro,
não pude ver as estrelas à noite,
nem consegui sonhar .
Tenho andado distraída...
confusa, com a cabeça latejante,
ocupada com as tarefas do dia-a-dia,
perdida como uma ovelha ferida.


Cansada de lutas perdidas,
esperanças encardidas,
escondidas sob a dor e as feridas.
Sinto saudades dos dias ensolarados
perfumados e coloridos,
embalados ao som de pássaros inocentes.

Nestes dias de outono,
longas noites anunciando o inverno
me reviro, mas sinto frio,
me cubro e sinto calor...

Olho pro céu escuro esperando o amanhecer
torcendo pra clarear o horizonte,
rezando pro dia ser ensolarado,
com esperanças de que
após a tempestade virá a bonança.
Tomara que não demore!

5 comentários:

Edson Marques disse...

Luelena,

Tomara que não demore!




Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.


Abraços, flores, estrelas..

ana lucia matos disse...

Lu, o textoéstá triste porém muito elegante. É um bom texto literário. Parabéns.

Clara disse...

Luiza,

Não irá demorar, tenho certeza que o céu se abrirá assim que você abrir os olhos.
Feche-os e abra-os depois que achar que mudou seus pensamentos, logo estarão ali, bem perto de você!

Adorei a visita! Venha mais vezes.

Beijinho!!!

Edson Marques disse...

Os livros chegaram...




Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.


Abraços, flores, estrelas..

Edson Marques disse...

Luelena,


Saudades renovadas...




Se você não encontrar razões para ser livre, invente-as.

Abraços, flores, estrelas..