sexta-feira, 14 de março de 2008

Apenas um encontro!


Uma praça, um livro e um olhar.
Sentou-se ao meu lado um pouco antes de me perguntar se incomodava.
- "Bom dia! Posso me sentar aqui ao seu lado?"
Moreno, cabelo curto, porte atlético, vestido como jovem e aparentando pouca idade.
- "Você gosta mesmo de ler!"
Continuei minha leitura, como se nada tivesse me acontecido.

Me olhava como uma pessoa faminta olha um prato suculento; como o cão que observa um frango assado na vitrine assadeira. Negou tanta vezes estar interessado em mim, que quase me fez acreditar. Seu olhar guloso me inspirou a sensação de ser desejada, apesar do excesso de peso. Estou obesa e nem um pouco satisfeita com meu corpo atual. Me senti ruborizar cada vez que ouvia seus elogios. Como era falante o rapaz!
Um olhar firme e penetrante me convenceu de que ele estivesse realmente falando a verdade.
Nem adiantava continuar tentando manter minha atenção no livro...
Achei-o muito novo, por esse motivo lhe perguntei qual a idade que ele achava que eu tenho. Me deu uns vinte e poucos, neste momento eu retirei os óculos escuros e repeti a pergunta. Retribui o olhar fixamente para que me confirmasse a verdadeira idade. Percebi a surpresa no olhar dele enquanto falava:
- "Você parece ser mais madura, tipo uns trinta e poucos..."
Meu sorriso foi rapidamente substituído por uma gargalhada solta e gostosa que há muito eu não experimentava.
- "Que cor são os seus olhos? À primeira vista parecem castanhos, mas quando observados mais de perto, sob certa luz pode se ver o brilho e a cor que refletem. São cor de mel, a mesma cor dos meus! Com certeza! Temos alguma coisa em comum!"
Confessei meus 41 anos, enquanto ele se esforçava em explicar como estou conservada:
- "... Aos meus olhos você é muito interessante..."
Interrompi com uma pergunta:
- "Então você sente uma forte atração por coroas gordinhas?"
Não consegui segurar o riso enquanto ele gaguejava tentando me esclarecer sobre a verdadeira diferença entre "fofinha, gordinha e gorda".
Uma sensação relaxante percorreu todo o meu corpo, percebi um forte aquecimento central... Eu estava gostando (e muito!) de estar sendo cortejada por um jovem saudável que poderia ter a garota que quisesse. Neste momento, percebi a mudança de olhar e o movimento de cabeça ligeiramente disfarçado em direção à duas jovens e sensuais adolescentes que passavam pela praça. As moças nem podiam suspeitar do clima de sedução e ferormônios que nos rondavam naquele momento. Meu novo amigo percebeu que o vi acompanhando o andar das duas moças e iniciou rapidamente um discurso bastante eloquente sobre conteúdo e corpo, mente vazia e fútil e a maturidade de muita experiência de vida que no meu caso estariam despertando nele muito interesse, etc., etc. e tal!
Meu celular tocou como se me despertasse pra realidade da vida e minha curta aventura terminou antes que pudesse começar. Minha amiga estava confirmando minha presença pro almoço e dessa forma me despedi do jovem interlocutor, que ainda me olhava com face suplicante...
- "Apenas um beijo! Pra celebrar esse encontro!"

Nenhum comentário: