quarta-feira, 18 de junho de 2008

Falso Seqüestro

No golpe, normalmente as ligações são feitas de presídios. Os presos ligam para as vítimas e dizem que seqüestraram um parente. Eles colocam pessoas ao fundo chorando e gritando. Com o susto, as próprias pessoas repassam detalhes pessoais aos falsos seqüestradores.
Geralmente, a quantia exigida no resgate é pequena. Assim, o tempo para que a pessoa que está sendo enganada recolha o dinheiro é mais rápida. Na maioria das vezes, as ligações são feitas aleatoriamente. Mas em alguns casos, os golpistas fazem uma pequena investigação para descobrir informações da família.
A delegada Suzana Machado chama atenção para um modo bastante utilizado pelos golpistas para conseguir informações. “Eles costumam ligar falando que o proprietário da residência ganhou uma promoção. Durante a conversa, as pessoas acabam entregando detalhes. Dias depois, os golpistas utilizam as informações para aplicar o trote”, alertou Suzana Machado.
A delegada pede à população que qualquer pessoa que seja vítima do falso seqüestro informe a DRS. “Todos os trotes têm que ser registrados. Só conseguimos prender os criminosos por meio das ocorrências”.
Dicas
Para não cair no golpe, a polícia recomenda:
- Evitar atender ligações a cobrar, principalmente se for de madrugada.
- Se a pessoa tiver o aparelho que registra o número do telefone de quem está ligando, desconfiar de ligações com o prefixo do Rio de Janeiro.
- Ao receber um telefonema sobre seqüestro, tente entrar em contato com a pessoa que estaria em mãos dos seqüestradores.

Um comentário:

Nilva disse...

Se acontecer um trote com vc, nunca diga o nome do parente que vc está pensando, porque aí é que a coisa fica feia. Mantenha a calma ou desligue o telefone para ter tempo de ligar para a pessoa.

Nilva