sexta-feira, 25 de julho de 2008

Instantes de frustração


Ontem à noite seguia em meu carro, tranquilamente de volta pra casa. Avistei uma meia lua resplandescente combinando perfeitamente com as luzes da cidade.
Quem conhece Brasília sabe que os mais breves passeios nos levam a percorrer quilometros de asfalto. Naquele ponto da estrada um pouco mais alto era possível ver essa imagem encantadora.
Fiquei paralisada por alguns segundos diante de tão maravilhosa composição, quando lembrei que minha máquina fotográfica estava ali tão perto na bolsa...
Mas, a rodovia não tem acostamento, este bairro não é seguro, se parar, corro risco de assalto ou acidente... Eu sempre soube que sou insegura, mas essa noite consegui me superar!
Com a máquina numa mão e o volante na outra tentei frustantemente registrar aquela cena maravilhosa. Diminui a velocidade, quase parei, quando olhei ao redor tremi e não consegui efetuar o registro.
Mesmo que utilize os melhores adjetivos e pesquise palavras adequadas pra descrever as emoções que senti naquela noite, será impossível retornar àquele intante, àquela vista, o momento passou, agora restam-me somente as lembranças...

Um comentário:

Grace Olsson disse...

Lu, pelo menos ficou a doce lembrança de ter vivido e isso BASTA.
BEIJOS E DIAS FELIZES,SEMPRE, POETISA.