terça-feira, 29 de maio de 2007

Edson Marques escreveu

Ele foi injustiçado,
mas nós amigos continuamos lendo
e relendo diariamente
estas palavras inspiradoras e renovadoras.
MUDE
Mas comece devagar,
porque a direção é mais importante que a velocidade.
Sente-se em outra cadeira,
no outro lado da mesa.
Mais tarde, mude de mesa.
Quando sair, procure andar pelo outro lado da rua.
Depois, mude de caminho,
ande por outras ruas, calmamente,
observando com atenção os lugares por onde você passa.
Tome outros ônibus.
Mude por uns tempos o estilo das roupas.
Dê os teus sapatos velhos.
Procure andar descalço alguns dias.
Tire uma tarde inteira
para passear livremente na praia,
ou no parque, e ouvir o canto dos passarinhos.
Veja o mundo de outras perspectivas.
Abra e feche as gavetas e portas com a mão esquerda.
Durma no outro lado da cama.
Depois, procure dormir em outras camas.
Assista a outros programas de tv,
compre outros jornais,
leia outros livros,
Viva outros romances!
Não faça do hábito um estilo de vida.
Ame a novidade.
Durma mais tarde.
Durma mais cedo.
Aprenda uma palavra nova por dia numa outra língua.
Corrija a postura.
Coma um pouco menos,
escolha comidas diferentes,
novos temperos, novas cores, novas delícias.
Tente o novo todo dia.
o novo lado, o novo método,
o novo sabor, o novo jeito,
o novo prazer, o novo amor.
a nova vida.
Tente.
Busque novos amigos.
Tente novos amores.
Faça novas relações.
Almoce em outros locais, vá a outros restaurantes,
tome outro tipo de bebida
compre pão em outra padaria.
Almoce mais cedo, jante mais tarde
ou vice-versa.
Escolha outro mercado,
outra marca de sabonete,
outro creme dental.
Tome banho em novos horários.
Use canetas de outras cores.
Vá passear em outros lugares.
Ame muito, cada vez mais,
de modos diferentes.
Troque de bolsa, de carteira, de malas.
Troque de carro.
Compre novos óculos,
escreva outras poesias.
Jogue os velhos relógios,
quebre delicadamente esses horrorosos despertadores.
Abra conta em outro banco.
Vá a outros cinemas, outros cabeleireiros,
outros teatros, visite novos museus.
Mude.
Lembre-se de que a Vida é uma só.
Arrume um outro emprego, uma nova ocupação,
um trabalho mais light,
mais prazeroso, mais digno, mais humano.
Se você não encontrar razões para ser livre,
invente-as.
Seja criativo.
E aproveite para fazer uma viagem despretensiosa,
longa, se possível sem destino.
Experimente coisas novas.
Troque novamente.
Mude, de novo.
Experimente outra vez.
Você certamente conhecerá coisas melhores e coisas piores,
mas não é isso o que importa.
O mais importante é a mudança,
o movimento, o dinamismo,
a energia.
Só o que está morto não muda!
Edson Marques.

segunda-feira, 21 de maio de 2007

Quem sou?

Fico aqui pensando com meus botões...
Quem sou? O que vim fazer aqui?
Não sei quem, nem sei onde
Acho que estou perdida...

Me acostumo com a rotina
Tolero relacionamentos doentes
Me perco num mar de dúvidas
Rodopiando em mil possibilidades

Confio e me arrependo
Sou resiliente, persistente, não desisto facilmente
Recomeço novamente, insisto, nunca desisto
Fico tonta com tanta dificuldade
Nem sei mais qual é minha prioridade

Quero mudar, mas tenho medo do desconhecido
Quero poder cantar a plenos pulmões, pra todos ouvirem:



"Sou fera, sou bicho, sou anjo e sou mulher
Sou minha mãe e minha filha,
Minha irmã, minha menina
Mas sou minha, só minha
e não de quem quiser"

sexta-feira, 18 de maio de 2007

Uma pergunta:

Como fazer uma radical e doce ruptura com as normas injustas,
e com tudo o que de alguma forma me oprime?

quinta-feira, 17 de maio de 2007

Palavra de amigo

" Não se amoldem ao padrão deste mundo, mas transformem- se pela renovação da sua mente, para que sejam capazes de experimentar e comprovar a boa, agradável e perfeita vontade de Deus."
Romanos 12:2

terça-feira, 15 de maio de 2007

Momento Musical

Metade


Que a força do medo que tenho não me impeça de ver o que anseio
Que a morte de tudo em que acredito não me tape os ouvidos e a boca
Porque metade de mim é o que eu grito, a outra metade é silêncio.
Que a música que ouço ao longe seja linda ainda que tristeza
Que a mulher que amo seja pra sempre amada mesmo que distante
Porque metade de mim é partida, a outra metade é saudade.

Que as palavras que falo não sejam ouvidas como prece nem repetidas com fervor
Apenas respeitadas
Como a única coisa que resta a um homem inundado de sentimentos
Porque metade de mim é o que ouço, a outra metade é o que calo.

Que a minha vontade de ir embora se transforme na calma e paz que mereço
Que a tensão que me corrói por dentro seja um dia recompensada
Porque metade de mim é o que penso, a outra metade um vulcão.

Que o medo da solidão se afaste
E o convívio comigo mesmo se torne ao menos suportável
Que o espelho reflita meu rosto num doce sorriso que me lembro ter dado na infância
Porque metade de mim é a lembrança do que fui, a outra metade não sei.

Que não seja preciso mais do que uma simples alegria pra me fazer aquietar o espírito
E que o seu silêncio me fale cada vez mais
Porque metade de mim é abrigo, a outra metade é cansaço.

Que a arte me aponte uma resposta mesmo que ela mesma não saiba
E que ninguém a tente complicar, pois é preciso simplicidade pra fazê-la florescer
Porque metade de mim é platéia a outra metade é canção.

Que a minha loucura seja perdoada
porque metade de mim é amor
e a outra metade também.

quinta-feira, 10 de maio de 2007

Dormi na Praça

Bruno e Marrone


Caminhei sozinho pela rua
Falei com as estrelas e com a lua
Deitei no banco da praça
Tentando te esquecer
Adormeci e sonhei com você
No sonho você veio provocante
Me deu um beijo doce, me abraçou
E bem na hora H, no ponto alto do amor
Já era dia o guarda me acordou
Seu guarda eu não sou vagabundo
Eu não sou delinquente, sou um cara carente
Eu dormi na praça, pensando nela...

quinta-feira, 3 de maio de 2007

Bons dias virão!

O dia amanheceu, um pouco nublado,
mas com novas oportunidades e esperanças...
Deus nos abençoe!