quinta-feira, 6 de agosto de 2009

Citar a fonte não dói!

Fiquei com uma vontade incrível de publicar o poema do Emílio Moura. Até porque adoro ler, conhecer e valorizar poesia e os poetas brasileiros que constroem belas obras de arte que merecem ser apreciadas.
Manifesto aqui a minha repulsa pelo crime de plágio. Concordo e apoio a atitude da Luma do blog Luz de Luma, yes party!. Temos que denunciar e repudiar o blogueiro parasita.

Em setembro de 2008 publiquei um texto "Denunciando o plágio!" revelando um crime desses que ocorreu com meu amigo Joeldo Holanda.
Agora, mais do que nunca, estou participando da campanha pela originalidade da blogosfera brasileira. Como dizia no título desta postagem, citar a fonte e reconhecer os direitos do autor é fundamental e não custa nada. Citar a fonte não dói!
Canção








Viver não dói.
O que dói é a vida que se não vive.
Tanto mais bela sonhada,
quanto mais triste perdida.

Viver não dói. O que dói
é o tempo, essa força onírica
em que se criam os mitos
que o próprio tempo devora.

Viver não dói. O que dói
é essa estranha lucidez,
misto de fome e de sede
com que tudo devoramos.

Viver não dói. O que dói,
ferindo fundo, ferindo,
é a distância infinita
entre a vida que se pensa
e o pensamento vivido.

Que tudo o mais é perdido.


...........................................
Sobre o autor:
Emílio Moura - para os amigos, "poeta Emílio" - nasceu em Minas, em 1902. Ao lado de Carlos Drummond de Andrade e Pedro Nava, fez parte da célebre geração que renovou a literatura na Belo Horizonte dos anos 20 e 30. Embora pouco lido e conhecido ("poeta ainda não bastante admirado", na expressão de Otto Maria Carpeaux), é um dos nomes importantes do modernismo brasileiro.
.......................................................
Fontes:
Blog Luz de Luma, yes party!: http://luzdeluma.blogspot.com/
Página pessoal de Emilio Moura: http://emiliomoura.br.tripod.com/poemas.htm

4 comentários:

Luma disse...

Lu, obrigada pela solidariedade!
Tenho encontrado pela blogosfera bloggers 'conhecidos' copiando coisas alheias, copiam de blogues que eles acham nunca vão descobrir, principalmente estes 'meta blogues' que copiam códigos e scripts e tomam para si. Enfim, o meu desgosto maior é mesmo por ser um professor, uma pessoa que deveria ensinar ética e boa conduta.
Voce conhece o "Quem me ama?"? Adote!! (rs*) http://www.quemmeama.co.cc/
Achei o máximo você ter falado sobre o Emílio Moura!! Bom fim de semana! Beijus

Luiza Helena disse...

Luma, Obrigada! Adorei sua visita!
Fiquei muito triste com o que te ocorreu, infelizmente é um crime muito comum. O que podemos fazer nos unir e construir uma rede de conscientização sempre dando o bom exemplo e mostrando pra eles que não é preciso mentir, roubar ou destruir pra ter sucesso ou reconhecimento.
Parabéns pelo seu trabalho!

Chá das Cinco disse...

Estou aqui por uma razão,pedir para você deixar no meu blog uma mensagem contra a VIOLÊNCIA no TRÂNSITO, no post " JUSTIÇA".

Sei que o irresponsável e os seus advogados procuram no Google notícias que tenham o nome do autor do crime, essa seria uma maneira de comunicarmos com ele e mostrarmos o nosso repúdio.A violência no trânsito mata mais do que as guerras.
Estou lutando duas vezes,uma contra o poder econômico do criminoso e outra contra o desrespeito as nossas leis.
Conto com a tua colaboração .
Gemária Sampaio

joeldo disse...

Querida Lu, obrigado pela citação.

Venho reafirmar a importância de nunca nos "esquecermos" de dar o crédito ao citarmos textos de outrem, sob pena de transformá-lo em "Autor Desconhecido", à medida que seus textos forem sendo copiados Internet afora.

Isso é questão de ética e respeito, tanto com o autor citado, quanto com os leitores.

Um abraço, com carinho!
Joeldo