quinta-feira, 9 de setembro de 2010

O Amor

Eu poderia falar as línguas dos homens, e até a dos anjos, mas se não tivesse amor, as minhas palavras seriam como o barulho do gongo ou o som do sino. Poderia ter o dom de anunciar mensagens de Deus, ter todo o conhecimento, entender todos os segredos, e ter toda a fé necessária para tirar as montanhas dos seus lugares; mas se não tivesse amor, eu não seria nada. Poderia dar tudo o que tenho, e até entregar o meu corpo para ser queimado; mas se eu não tivesse amor, isso não me adiantaria nada.
O amor é paciente e bondoso. O amor não é ciumento, nem orgulhoso, nem vaidoso. Não é grosseiro, nem egoísta. Não se irrita, nem fica magoado. O amor não se alegra com o mal dos outros, e sim com a verdade, O amor nunca desanima, mas suporta tudo com fé, esperança e paciência. O amor é eterno.

Agora, pois, permanecem a fé, a esperança e o amor.
Porém o maior destes é o amor.
I Corintios 13

quarta-feira, 25 de agosto de 2010

O que é Solidão?

 
Eu sempre pesquiso a fonte das mensagem e textos que recebo por e-mail e faço questão de anunciar o verdadeiro autor.  O poema "Solidão" que consta nos livros "Palavras para entorpecer o coração" e "Ecos da Alma" da poetisa Fátima Irene Pinto, é indevidamente creditada por algumas fontes ao escritor e músico Chico Buarque de Holanda.



Solidão


Solidão não é a falta de gente para conversar, namorar, passear ou fazer sexo... Isto é carência.
Solidão não é o sentimento que experimentamos pela ausência de entes queridos que não podem mais voltar... Isto é saudade.
Solidão não é o retiro voluntário que a gente se impõe, às vezes, para realinhar os pensamentos... Isto é equilíbrio.
Solidão não é o claustro involuntário que o destino nos impõe compulsoriamente para que revejamos a nossa vida... Isto é um princípio da natureza.
Solidão não é o vazio de gente ao nosso lado... Isto é circunstância.
Solidão é muito mais do que isto.
Solidão é quando nos perdemos de nós mesmos e procuramos em vão pela nossa alma....


Fontes: http://www.romantichome.net/solidao.htm
http://pt.wikipedia.org/wiki/F%C3%A1tima_Irene_Pinto
http://www.ligia.tomarchio.nom.br/ligia_amigos_fatima.htm
http://www.romantichome.net/palavrasparaentorpecerocoracao.htm

sexta-feira, 21 de maio de 2010

Essa vale ler e guardar!

Busca
Cora Coralina

Tenho encontrado muitas pessoas, porém não encontro gente...
Há um vazio dentro de cada um, um processo de fechamento em sentimentos.
Encontro sorrisos, porém daqueles que expõem apenas os dentes, mas não a alma.
Encontro verdadeiras tocaias, e não corações.
Reservas insistentes da solidão.
Tenho encontrado pessoas medrosas, indecisas, escondendo-se de si mesmas.
Pessoas que dizem: "Não sei... Não sei se quero... Não sei se posso..."
Quando sabem exatamente o que querem e o que buscam, e não se arriscam ao menor impulso.
Pessoas duras, escuras, impossibilitadas de amar.
Estas, cansei de encontrar...
Busco por gente que empreste o ombro, que não tenha medo de dizer que levou um tombo.
Busco por gente que assuma que amar traz sofrer, e, com esta certeza, não venham a se esconder.
Busco por gente que tenha a experiência de sobrevivente de guerra.
Busco por gente, que de tanto caminhar, não tenha receio de dizer que seus pés ainda têm muito por machucar.
Quero gente de coragem para comigo conversar.
Gente que saiba que máscaras não dão mais para usar, e sendo seu perfil interno, branco ou preto, tenha a dignidade de revelar.
Busco por gente que chore livremente, sem preconceitos pelas lágrimas derramadas.
Quero gente que saiba exatamente para onde está indo e o que deseja encontrar, mesmo que esta busca jamais venha alcançar.
Busco por gente,"Seres Humanos", que saibam se doar, estes eu anseio por encontrar.
Gente que saiba até ferir se precisar, mas que seja valente em seu ato para não mais enganar, a quem quer que seja, e a si próprio.
Gente de decisão, sem argumento para esconder, escusas ações.
Quero gente que é gente, que mostra a cara, vai à luta e dorme contente.
É desta gente que eu preciso!
Gente liberta, que me dêem um canto em seu colo e saibam me acariciar, sem tempo, sem hora e em qualquer lugar.

Nem preciso explicar porque sou super-fâ desta poetisa legitimamente brasileira. Ainda vou conhecer mais profundamente sobre sua vida e obra, enquanto isso, vou divulgando por aqui pra quem quiser!
Vale uma visita nos sites:
- Wikipédia - http://pt.wikipedia.org/wiki/Cora_Coralina
- Associação Casa de Coralina - http://www.casadecoracoralina.com.br/home.html

quinta-feira, 20 de maio de 2010

CRÔNICA DA CIDADE

Vida alheia
Conceição Freitas
Por que a vida alheia nos interessa tanto? A alguns mais do que a outros. Ou dizendo de um modo mais preciso: muitos de nós se interessa demasiadamente pela vida alheia. Isso sempre me incomodou, não que eu não me interesse pelos movimentos da vida das pessoas com as quais convivo, mas o gosto extremado em saber o que acontece com a vida dos outros sempre me pareceu uma disritmia nefasta.
Há algum tempo, uma sábia amiga me alertou: o ser humano olha para o outro porque precisa medir-se a si mesmo, seja como um ato de coragem, seja como um ato de covardia. Seja para dizer: aquele humano se sai melhor do que eu nisso ou naquilo, quem sabe posso aprender com ele. Ou seja para se alimentar do fracasso alheio: eu não consegui, mas ele também não.
Outro tipo de interesse pelo que acontece com os outros que sempre me intrigou é o movimento que se segue a um acidente de trânsito ou qualquer outra tragédia em via pública: diante de um fato brutal, desses que fraturam o ritmo normal da vida, as pessoas ficam extremamente assustadas, porque são informadas, naquele instante, que é por demais perigoso viver e que todos, todos, estamos sujeitos a esses acontecimentos.
Acompanhá-los de perto é um momento de aceitar que as tormentas existem e ao mesmo tempo um consolo diante do tremor que elas deixam na alma. “Não foi comigo, que bom”. Ao fim e ao cabo, todos desconfiamos que viver é sempre estar à beira do abismo.
A abelhudice das pessoas sobre a vida das outras pessoas é um modo de lidar com a própria vida. O outro é a medida do que existe, do que pode acontecer, do que se pode fazer, do que dá certo, do que dá errado – o outro é o meu espelho.
Ninguém existe sem o outro. Precisamos do olhar do outro para conferir a própria existência.
Então, diante disso tudo, aprendi que o interesse do outro pela sua vida, ou o seu interesse pela vida do outro, pode ser nefasto ou pode ser generoso, pode te ajudar ou te atrapalhar.
Se você conseguir suportar um olhar inimigo, ele pode ter muito a te ensinar. O olhar inimigo pode te dizer coisas que um amigo não tem coragem, mas você precisa ouvir.
Tudo depende do que você faz com o que a vida te oferece.

Fonte: Conceição Freitas – Correio Web

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Eu estou bem!

Nem adianta eu me apressar...
No trabalho está difícil, com muitas pessoas afastadas por licença médica, cada dia faço uma tarefa em um setor diferente. Fico preocupada, pois todos estamos sobrecarregados e trabalhando no limite de nossas forças. Não tenho gostado muito disso.
Meu corpo se queixa, preciso me cuidar melhor. Não me lembro qual foi a última vez que evacuei, isso significa que estou “enfezada”. Preciso beber mais água, comer mais frutas e menos massa...
O namoro parece que está seguindo seu percurso natural, finalmente estou conhecendo alguns "defeitos" do bem amado. Encontramos os pontos que não concordamos e nos atrapalhamos nos assuntos não falados, não ouvidos e muito pouco compreendidos.
Às vezes tenho a impressão que estou sozinha, se não tivesse minha psicoterapeuta, nem sei o que seria de mim. Às vezes fico cansada de lutar e tenho vontade de desistir, só que esta palavra não existe no meu vocabulário...
Os dias estão passando muito depressa! As noites estão muito curtas...
Queria dormir mais, ficar em casa, não pensar em nada e nem em ninguém...
Queria dar conta de mim mesma, me cuidar, me respeitar...
Queria não me preocupar com a opinião de ninguém, me relacionar com pessoas maduras e equilibradas que soubessem se cuidar e não se magoassem tão facilmente.
Queria pegar uma nave espacial e passar uma temporada em Marte, sem gravidade, sem responsabilidade, sem dúvida, sem medos...
Queria voltar somente quando esta TPM tivesse passado e eu pudesse ser eu mesma.
Vencedora e resiliente!
Valente e Lu Tadora!

Fonte da foto e outras coisinhas mais: http://chirlamjr.blogspot.com/2009/03/definicoes-de-tpm.html

quarta-feira, 5 de maio de 2010

Disseram que foi o Arnaldo Jabor quem disse ...

Recebi um e-mail com o texto abaixo supostamente escrito por Arnaldo Jabor. Como sempre faço, fui pesquisar na internet para confirmar a autoria, fonte, local ou periódico em que o texto foi publicado e encontrei um texto interessante publicado em: 03/11/2009 no periódico "O TEMPO. Jornalismo de qualidade" em que o próprio Jabor se queixa das barbaridades publicadas e divulgadas como sendo se sua autoria. Afirma: "Existe um “sub-eu” vagando na internet" . Achei interessante vale uma visita em:

 Blogs, twitter, Orkut e outros buracos

Lanço agora um desafio: Como saber a verdadeira autoria dos textos publicados na internet?
Mais ainda: como descobrir o autor do texto abaixo?
Como tudo na vida...
Detesto quando escuto aquela conversa: 'Ah, terminei o namoro...' 'Nossa, quanto tempo? ''Cinco anos... Mas não deu certo, acabou'' É não deu...' Claro que deu! Deu certo durante cinco anos, só que acabou.
E o bom da vida, é que você pode ter vários amores.
Não acredito em pessoas que se complementam. Acredito em pessoas que se somam.
Às vezes você não consegue nem dar cem por cento de você para você mesmo, como cobrar cem por cento do outro?
E não temos esta coisa completa.
Às vezes ele é fiel, mas não é bom de cama.
Às vezes ele é carinhoso, mas não é fiel.
Às vezes ele é atencioso, mas não é trabalhador.
Às vezes ele é malhado, mas não é sensível.
Tudo, nós não temos...
Perceba qual o aspecto que é mais importante e invista nele.
Pele é um bicho traiçoeiro...
Quando você tem pele com alguém, pode ser o papai com mamãe mais básico que é uma delícia.
E às vezes você tem aquele sexo acrobata, mas que não te impressiona...
Acho que o beijo é importante... e se o beijo bate... se joga... se não bate... mais um Martini, por favor... e vá dar uma volta.
Se ele ou ela não te quer mais, não force a barra.
O outro tem o direito de não te querer. Não lute, não ligue, não dê pití.
Se a pessoa tá com dúvida, problema dela, cabe a você esperar ou não.
Existe gente que precisa da ausência para querer a presença.
O ser humano não é absoluto.
Ele titubeia, tem dúvidas e medos, mas se a pessoa REALMENTE gostar, ela volta.
Nada de drama! Que graça tem alguém do seu lado sob chantagem, gravidez, dinheiro, recessão de família?
O legal é alguém que está com você por você. E vice versa.
Não fique com alguém por dó também. Ou por medo da solidão.
Nascemos sós. Morremos sós.
Nosso pensamento é nosso, não é compartilhado.
E quando você acorda, a primeira impressão é sempre sua, seu olhar, seu pensamento.
Tem gente que pula de um romance para o outro.
Que medo é este de se ver só, na sua própria companhia?
Gostar dói! Você muitas vezes vai ter raiva, ciúmes, ódio, frustração. Faz parte.
Você namora um outro ser, um outro mundo e um outro universo.
E nem sempre as coisas saem como você quer...
A pior coisa é gente que tem medo de se envolver.
Se alguém vier com este papo, corra, afinal, você não é terapeuta...
Se não quer se envolver, namore uma planta. É mais previsível.
Na vida e no amor, não temos garantias.
E nem todo sexo bom é para namorar.
Nem toda pessoa que te convida para sair é para casar.
Nem todo beijo é para romancear.
Nem todo sexo bom é para descartar... Ou se apaixonar... Ou se culpar.
Enfim... quem disse que ser adulto é fácil?

terça-feira, 27 de abril de 2010

Quem pode me responder?

Lu Tadora?


Eu te conheço muito bem, já ouvi suas histórias antes. Sempre muito dramática e passional. Parece que vive todas as emoções com a maior intensidade. Nem sei porque não consegue reconhecer seu próprio valor e nem comemora suas vitórias.
Bem vejo que você não teve tempo suficiente para se vangloriar ou aproveitar o sucesso de suas conquistas. Afinal, enquanto houver luta você estará vivendo como boa sobrevivente que é. Penso que não deveria se conformar apenas em suportar as pressões, se adaptar às mudanças e sobreviver às batalhas diárias. Você deveria olhar para si mesma e reconhecer suas competências e qualidades pessoais. Outras pessoas que estivessem no seu lugar já teriam sucumbido, desistido ou apenas abandonado a luta.
Concordo que não se dê por satisfeita com o mínimo necessário, acho justo que tenha ambição e almeje uma vida com qualidade, mas não precisa sempre ficar se recriminando pelos erros do passado e pelo insucesso nas campanhas nas quais ainda não estava preparada ou que não tinha recursos suficientes.
Não é sua culpa ter sido resultado de um “acidente”. Seus pais não estavam preparados para recebê-la e aceitá-la como era. Não se culpe por ter desejado permanecer viva num mundo inseguro e inconstante. Sua força de vida sempre foi uma qualidade única e pouco encontrada nas pessoas não resilientes.
Desejar crescer e conhecer o mundo ao seu redor pode ter sido motivação suficiente para que buscasse o próximo passo, desafio ou apenas o dia seguinte. Acordar pela manhã e buscar curiosa o significado ou função daquele ruído, cor, mecanismo...
Rastejar, segurar, erguer-se e andar em direção ao outro que não te busca deve ter sido difícil. Procurar algum olhar que te garantisse a sensação de bem-querer pode muitas vezes ter custado um esforço sobre-humano ou sobrenatural.
As palavras de derrota e crítica não puderam te deter em sua caminhada em busca do conhecimento. Mesmo nos momentos mais confusos e perdidos de sua escalada em direção à vida adulta não ficaste parada ou conformada com sua sina de ser uma humana em constante evolução.
Seu corpo por muitas vezes te forçou a dar “paradas” estratégicas. Sua carne é fraca e não suporta os intensos castigos que você mesma se infligiu à medida em que buscava se adaptar às necessidades da sua família. A sabedoria da natureza te obrigou, de tempos em tempos, a repousar sua cabeça no travesseiro mesmo que estivesse totalmente molhado por suas lágrimas silenciosas.
Justiça, proteção, amparo parecem ter sido as últimas palavras a serem incluídas no seu vocabulário. AMOR? Quatro letras que até “ontem” pareciam ser um mistério. Temos que reconhecer, sua resistência parece não ter fim, mas sua paciência às vezes até acaba. A intolerância sempre volta a te perseguir na pessoa de algum daqueles que deveriam ser seus entes mais queridos.
O mundo que te trouxe até aqui foi suficientemente interessante?
Como conseguiu manter sua curiosidade incessante?
Às vezes te cansou sua busca?
Está valendo a pena?

terça-feira, 20 de abril de 2010

Bem Vindos!

Caros leitores,


Há algum tempo estou sem internet em casa e não tenho podido escrever neste blog com a frequência que  aprecio. Gosto muito de escrever e de compartilhar informações e aprecio bastante os comentários dos visitantes e amigos. Àqueles que me visitam pela primeira vez talvez não saibam quem eu sou ou como eu penso. Se quiserem conhecer um pouco mais da pessoa que lhe escreve, sugiro que façam uma visita às páginas mais antigas que foram escritas a partir de 2005.
Tenho algumas padronizações que utilizo neste espaço de comunicação:
- Com relação às cores - o fundo escuro nas telas de computador causam menor dano à vista humana, pois emitem menores índices de radiação luminosa. Eu gosto muito de azul, prefiro utilizar azul escuro como fundo pois me lembra o céu ao anoitecer.
- A cor rosada marca os textos em que faço citação, poesias, letras de música e outras coisas que não foram escritas por mim.
- Os textos de minha autoria ou os comentários que eu faço são marcados em tons de lilás ou azul claro, além de ficarem identificados como "Eu escrevi" e podem ser conferidos no índice de marcadores.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Quando duas pessoas começam a se tornar uma?

Quando duas pessoas que se amam estão realmente abertas uma à outra, quando elas não temem uma à outra e não escondem nada uma da outra... isso é intimidade.
Quando elas podem dizer tudo, sem medo de que o outro irá se ofender ou magoar...
Se o ente querido pensa que o outro ficará ofendido, então a intimidade ainda não é profunda o bastante. É um tipo de acordo que pode ser rompido por qualquer coisa.
Mas quando duas pessoas que se amam começam a sentir que não há nada a esconder e tudo pode ser dito, e a confiança chega a tal profundidade que mesmo que um não diga o outro irá saber, então eles começam a se tornar um.
Osho, em "Intimidade — Como Confiar em Si Mesmo e nos Outros"

Fonte: Blog Palavras de Osho. Dicas diárias de um místico espiritualmente incorreto.
Disponível em: http://www.palavrasdeosho.com/2010/02/quando-duas-pessoas-comecam-se-tornar.html

quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Parar, Pensar e Refletir ...

Era uma vez uma cobra que começou a perseguir um vaga-lume que só vivia para brilhar.
Ele fugia rápido com medo da feroz predadora e a cobra nem pensava em desistir.
Fugiu um dia ela não desistia, dois dias e nada...
No terceiro dia, já sem forças, o vaga-lume parou e perguntou a cobra:
-Posso fazer três perguntas?
-Pode. Não costumo permitir isso, mas já que pretendo te comer mesmo, pode perguntar.
-Pertenço a sua cadeia alimentar?
-Não.
-Te fiz alguma coisa?
-Não.
-Então porque você quer me comer?
-Porque não suporto ver você BRILHAR.
O diabo não esta preocupado com os que estão nas trevas, e sim com os que estão na luz e tem o brilho do ESPÍRITO SANTO; por tanto não temais as perseguições, sede firmes e permaneceis.

quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

O que é amor?

Sei que estou meio distante deste blog e muitas datas e aniversários se passaram sem que eu deixasse aqui um comentário inteligente ou espirituoso. Meus leitores devem estar se perguntando: "O que estará acontecendo?"
Simplesmente estou vivendo! Vivendo situações novas, experiências, amores... Vivendo tão intensamente que tenho ficado sem palavras pra descrever ou explicar. Estou aprendendo a amar e ser amada. Vivendo um dia de cada vez e aprendendo a ser uma pessoa mais feliz.
Jesus fez aniversário! 
Celebrei com minha família e nem estive por aqui pra comentar com vocês a alegria de renovar a fé e o amor pela vida.
O Blog completou 4 anos! quem diria ?...
Muitas estórias escritas e compartilhadas, os comentários dos leitores surpreenderam com sensibilidade e emoção de pessoas moradoras de locais tão distantes, e se mostraram ao mesmo tempo tão diferentes e semelhantes. Somos todos humanos!
Dias melhores se foram e novos vieram cheios de conflitos, dúvidas, alegrias e respostas ...
Há muito que este blog deixou de ser apenas "o meu diário pessoal" e se tornou um meio de divulgação de informações sobre saúde, qualidade de vida, musicas e poesias. As reflexões deixaram de ser apenas minhas e se tornaram discussões de muitos. Participamos de diversas blogagens coletivas e ajudamos a divulgar campanhas de caráter social. Agradeço a todos os convites e comentários. Peço que continuem participando com sugestões e correções.
Espero ter contribuído até aqui. Que Deus permita continuar! Que este blog possa auxiliar de alguma forma àquelas pessoas que buscam uma palavra, uma música ou uma emoção positivas e edificantes.
Desejo em 2010 contribuir ainda mais!

Tem um filósofo chamado Osho que muito chama a minha atenção e me faz refletir intensamente:
O que acontece quando uma flor floresce numa floresta densa, sem ninguém para tomar conhecimento de sua fragrância, ninguém para passar e dizer "Que bela!", ninguém para sentir-lhe a beleza, a alegria, ninguém para partilhar - o que acontece à flor?
Morre? Sofre? Fica apavorada? Comete suicídio?
Ela continua e floresce, simplesmente continua a florescer.
Não faz nenhuma diferença se alguém passa ou não; isso é irrelevante.
Ela continua espalhando sua fragrância aos ventos.
Continua oferecendo sua alegria a Deus, ao todo.
Se eu estiver sozinho, então também eu serei tão amável quanto sou quando estou com você.
Não é você que está criando o meu amor.
Se você estivesse criando o meu amor então, naturalmente, quando você se fosse, meu amor também haveria de ir-se.
Você não está tirando o meu amor de mim; eu é que estou derramando amor sobre você.
Este é o "amor-dádiva", é o "amor-ser"
OSHO